12/07/2010

O bicho


Vi ontem um bicho
Na imundície do pátio
Catando comida entre os detritos.

Quando achava alguma coisa,
Não examinava nem cheirava:
Comia com voracidade.

O bicho não era um cão.
Não era um gato.
Não era um rato.

O bicho, meu Deus, era um homem.






BANDEIRA, Manuel. Estrela da vida inteira, 4 ed, RJ,
J. Olympio. 1973. p.


Se gostam do que vêm por aqui, por favor,  DIVULGUEM  nosso blog. Vamos ganhar mais seguidores e divulgar os pensamentos que temos a mostrar. obrigado!

2 comentários:

Angélica Lins disse...

Manoel Bandeira é mesmo incrível!
Texto forte, ótimo para refletir.

Abraços

Miyita disse...

Y si... a esos niveles llegamos los humanos. Que se puede hacer cuando hay hambre (en todo sentido)(al fin y al cabo somos animalitos también)( y por otro lado las psicosis, en fin)

Blog Widget by LinkWithin